Economia circular: conceito, tipos e como aplicar nas empresas

Você sabe como aplicar a economia circular na sua empresa? Entenda o que é esse conceito e como ele pode gerar benefícios para o seu negócio.

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Data de publicação: 02/10/2023

A extração de recursos naturais para a produção de bens de consumo tornou-se uma preocupação de escala mundial. Desde o Acordo de Paris (COP 21), que aconteceu em 2015, a economia circular virou uma esperança para as nações diminuírem seu impacto sobre o meio ambiente.

Entretanto, o consumo consciente de recursos ainda parece um sonho distante. De acordo com o Circularity Gap Report 2022, mais de 500 bilhões de toneladas de matéria-prima foram consumidas pelas indústrias entre 2015 e 2021, causando um impacto gigantesco no ecossistema do planeta. 

Mas, afinal, o que é economia circular e como as empresas podem aplicá-la em sua escala de produção? Ao longo deste texto, vamos explicar esse conceito e compreender os pilares que o envolvem. Então, continue com a gente e faça uma ótima leitura!

Qual é o conceito de economia circular?

Economia circular é um modelo de produção sustentável de bens de consumo. Esse sistema visa a uma menor extração de recursos naturais, como petróleo, metais e madeira, e uma maior reciclagem, ou seja, é uma estratégia ecológica que objetiva a fabricação de insumos sem desperdícios em indústrias e empresas. 

A Europa é o continente que mais aplica o conceito de economia circular em seus países. Entretanto, o índice ainda é muito baixo: segundo os estudos do Circularity Gap Report (mencionado no início do texto), apenas 8,6% dos recursos utilizados pelas indústrias são reaproveitados após o descarte. 

Mas qual seria um exemplo de economia circular? Vamos pensar em uma garrafa de água, que é feita de plástico, um material derivado do petróleo, que é um recurso natural finito. Depois do seu uso, a garrafinha é destinada para o lixão ou, na pior das hipóteses, acaba sendo jogada em rodovias ou no mar. 

Na economia circular, essa garrafa de água é destinada para a reciclagem, onde se torna matéria-prima para outros produtos de plástico. Assim, não é necessário extrair mais petróleo, que é uma ação muito prejudicial para o planeta. 

 

Economia linear e circular: entenda a diferença

Hoje em dia, a maioria das indústrias adota o sistema linear de consumo. Nele, as empresas utilizam recursos naturais para a produção de suas matérias-primas, que se transformam em bens de consumo.

No final da vida útil das mercadorias, elas são destinadas para o descarte. Por isso, quando pensamos neste sistema, a vida dos produtos forma uma linha reta (linear), na qual tudo que é produzido é descartado no final. 

Já na economia circular, os produtos, ao serem descartados pelos consumidores, podem ser devolvidos para as empresas na forma de matéria-prima, ou seja, o final da vida útil de uma mercadoria não é, necessariamente, o seu fim.

Assim, essa é a principal diferença entre os dois sistemas, que acarreta benefícios tanto para o planeta quanto para as indústrias e seus consumidores.

Quais são os 3 pilares da economia circular?

Os pilares da economia circular são: reciclagem, diminuição da poluição durante a manufatura dos bens de consumo e aumento da vida útil dos produtos. Por isso, para uma empresa implementar o consumo consciente e sustentável, é necessário reestruturar o jeito de pensar toda a cadeia de produção. 

Então, vamos entender como os três pilares da economia circular impactam na sua empresa? Acompanhe!

 

1. Reciclagem: resíduo zero

A reciclagem é o carro-chefe de todo o sistema da economia circular. Esse conceito se baseia na coleta seletiva dos resíduos, que são transformados em matéria-prima nos centros de reciclagem. Como citamos no exemplo, o plástico de uma garrafinha pode ser utilizado para fazer outras garrafas. 

Esse pilar é muito importante, já que origina outro ponto bastante crucial: a regeneração de sistemas naturais. Afinal de contas, a reciclagem evita que mais recursos sejam extraídos da natureza para fabricação de matérias-primas para a indústria. Seguindo o exemplo, o petróleo para a produção do plástico. 

Entretanto, no Brasil, tanto a produção sustentável quanto o sistema de reciclagem caminham em passos curtos: segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apenas 4% dos resíduos são reciclados no país.

2. Eliminação da poluição na produção de bens de consumo

Para uma empresa implementar a economia circular em seu processo de produção, é necessário pensar na implementação de medidas que eliminem a poluição em qualquer etapa. Isso porque, ao falar sobre sustentabilidade, precisamos lembrar que existem muitas substâncias poluentes em diversos ramos industriais. 

Uma maneira de começar a colocar em prática a política de “poluição zero” em sua empresa é adotar um sistema de energia limpa, como a solar, que não causa impacto ambiental e utiliza uma fonte inesgotável — o sol. 

Com ela, sua empresa pode entrar no Mercado Livre de Energia, um ambiente no qual é possível economizar com o uso de energia sustentável, e ainda ganhar certificados de sustentabilidade. 

3. Aumento da vida útil dos produtos

Por último, mas não menos importante, a economia circular defende uma remodelação do design dos produtos a fim de aumentar a vida útil dos bens de consumo. Estudos indicam que uma empresa consegue cativar mais clientes e gerar mais lucro quando suas mercadorias são duráveis. 

E uma ação leva a outra: com o aumento da vida útil dos produtos, ocorre uma menor necessidade de exploração dos recursos naturais para a produção de matéria-prima. Desse jeito, uma empresa consegue alinhar lucro e sustentabilidade em seu DNA corporativo.

Tipos de recursos da economia circular

Entre os tipos de recursos utilizados pela economia circular, encontram-se: produto como serviço, extensão da vida útil de um produto, recuperação de recursos e utilização de recursos circulares.

Mas qual desses tipos de recursos da economia circular você deve implementar em sua empresa? Bem, depende! Para responder essa pergunta, é necessário entender cada um desses modelos e como eles podem impactar na sua companhia. 

Na sequência, confira o que cada recurso propaga!

 

Produto como serviço

“Produto como serviço” é a noção de que os bens de consumo vendidos por uma empresa proporcionam, na verdade, uma maior experiência para seus clientes, o que fomenta o consumo consciente. Para tanto, é necessário haver uma diminuição entre o laço que separa a indústria e o consumidor final. 

Para que isso se torne uma realidade, é comum que empresas disponibilizem novos serviços para seus clientes, como o de manutenção dos produtos. Desse jeito, o consumidor se sente amparado pela indústria, o que gera uma sensação de confiança e acaba por fidelizá-lo. 

Extensão da vida útil do produto

Com o recurso de manutenção proposto no tópico acima, ocorre o aumento da vida útil do produto. E esse pode ser um grande benefício para a sua empresa, já que os clientes associam a sua marca com qualidade e longevidade.

Desde o começo da Idade Moderna, quando as sociedades começaram a se industrializar, a longevidade de um produto era entendida como prejuízo para uma empresa. Entretanto, com o passar dos anos, as necessidades e o pensamento dos consumidores mudaram, o que demanda uma atualização das indústrias. 

Para estender a vida útil dos produtos, é necessário investir em pesquisa e análise de materiais e design dos bens de consumo. Desse jeito, é possível criar mercadorias de maior qualidade e, assim, mais duradouras. 

Recuperação de recursos e utilização de insumos circulares

Esses dois modelos estão intimamente ligados. Para que uma empresa se consolide na economia circular, é necessário entender como ela usa recursos naturais para a fabricação de suas matérias-primas. 

Portanto, uma empresa pode seguir esses dois modelos sustentáveis. Por exemplo: ao extrair madeira para venda, uma madeireira pode aplicar ações para reflorestar a área desmatada, o que recupera os recursos naturais e causa um menor impacto na natureza. 

Por outro lado, uma empresa de construção de móveis pode usar madeira reciclada para a construção de seus produtos. Desse jeito, ela estará aplicando a utilização de insumos circulares como modo de ser sustentável e ecologicamente correta.

Benefícios da economia circular para empresas

Além do impacto ambiental positivo, um dos benefícios da economia circular para empresas é o aumento do lucro obtido por produtos que são sustentáveis e ecológicos. 

Existem várias pesquisas que apoiam esse fato. Segundo um estudo de 2011 da Green Brands Global Survey, 64% dos brasileiros estavam dispostos a gastar mais em produtos sustentáveis.

Já de acordo com dados do Mercado Livre, plataforma de comércio eletrônico, em um ano houve um aumento de mais de quatro milhões de usuários que compraram bens de consumo ecológicos em toda a América Latina. Isso representa o dobro de produtos com impacto positivo sendo vendidos pela plataforma.

Como implementar a economia circular na sua empresa?

O primeiro passo para implementar a economia circular na sua empresa é entender quais etapas do seu processo de produção podem ser mais ecológicas. Para isso, é necessário apresentar um estudo que mostre quais mudanças sustentáveis são possíveis para o seu negócio. Depois, sua empresa precisa criar um planejamento e definir metas que sejam possíveis para serem aplicadas. 

Isso significa que, primeiramente, você precisa entender, por meio de muito estudo, quais etapas da sua empresa podem ser alvo de mudanças que reduzam ou evitem impactos ambientais. Exemplificando: é compreender se a matéria-prima dos seus produtos pode ser substituída por insumos reciclados e circulares. 

Depois, é necessário criar um planejamento que contenha metas com prazos possíveis de serem alcançados. Por exemplo: se você deseja que a sua empresa seja 100% ecológica em cinco anos, é preciso haver meios de atingir esse resultado em pouco tempo. 

E, para finalizar, é preciso ter em mente que a revolução ecológica é um bem necessário para sua empresa, para seus clientes e para o planeta. Só com ela podemos caminhar para um futuro mais saudável.

Comece a ser sustentável com energia limpa com a EDP

Para implementar a economia sustentável na sua empresa, é necessário pensar em qual tipo de energia o seu negócio utiliza. Afinal de contas, é impossível negar o impacto danoso que algumas fontes perpetuam na natureza. 

Por isso, conheça a tecnologia e inovação da EDP, uma empresa que há mais de 20 anos atua no setor de energia solar brasileiro. Somos uma empresa que tem a sustentabilidade como um dos principais valores, sendo comprometida com práticas ambientais, sociais e de governança. 

Quer saber como a EDP pode ajudar a sua empresa a ter um impacto positivo para o meio ambiente? Confira nossos ideais e serviços de energia renovável!

Artigos relacionados